Falas de Beatriz Busaniche e Fernanda Carrera no Webinar Lavits 2020 publicadas no Global Data Justice

As comunicações de Beatriz Busaniche e Fernanda Carrera durante o Webinar Lavits 2020: Emergências Tecnopolíticas na Pandemia: América Latina foram publicadas na Data and Pandemic Politics do projeto Global Data Justice. A partir da perspectiva da América Latina, os textos oriundos das falas do webinar, disponível no canal da Lavits no Youtube, passam a integrar a série de publicações que tem como foco a diversificação do debate e processos que envolvem a governança de dados. 

No ensaio “Negligencia, La Inminente Amenaza a Nuestra Privacidad”, Beatriz Busaniche enquadra questões associadas aos riscos à privacidade sob um viés pouco debatido: a negligência do Estado. Comparando as preocupações políticas sobre como as tecnologias facilitam o autoritarismo estatal com a realidade da gestão de dados públicos pelo Estado, Busaniche defende que devemos prestar atenção não apenas aos perigos da implementação de tecnologias opressivas. Segundo ela, é preciso considerar também as injustiças menores e cotidianas que ocorrem quando os dados são divulgados ou vazados. No texto, Busaniche argumenta que um estado que não pode cuidar dos dados de seus cidadãos também falha em atender e segurar as pessoas de maneiras básicas e imediatas.

Pandemia e representação — entre a crise da objetividade e a colonialidade tecnológica, de Fernanda Carrera, discute como a ilusão de objetividade científica preserva e reproduz relações desiguais de poder. Analisando as representações da sociedade e dos efeitos da pandemia construídos através dos dados digitais, Carrera argumenta que a colonialidade tecnológica é um sistema de manutenção de poder e dominação – mais do que somente  discriminatória. O ensaio, ainda, aborda como as experiências de pessoas que já estão sujeitas à desigualdade, especialmente, em torno de raça, classe e gênero, são mascaradas pela  afirmação de que os dados representam a sociedade de forma objetiva e imparcial. Entender como dados digitais, códigos algorítmicos e mecanismos de inteligência artificial afetam a nossa realidade social, segundo Carrera, implica analisar tanto os impactos nocivos a alguns, como também evidenciar os favorecimentos a outros por meio destas tecnologias. 

As autoras

Beatriz Busaniche é presidente da Fundación Vía Libre, organização civil sem fins lucrativos que se dedica à defesa dos direitos fundamentais em ambientes mediados pelas tecnologias de informação e comunicação. Ela leciona na Universidade de Buenos Aires e no Instituto Latino-Americano de Ciências Sociais.

Fernanda Ariane Silva Carrera atua na Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e é professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Seus interesses de pesquisa incluem raça, gênero e representação no ambiente digital, bem como publicidade cibernética, consumo e sociabilidade em sites de redes sociais.

 

Global Data Justice e Lavits – O primeiro texto sobre a América Latina e vinculado ao Webinar Lavits 2020 publicado pelo projeto foi  “Pandemia, Tecnología y Trabajo“, de Claudio Celis Bueno. O ensaio aborda como a pandemia de COVID-19 aprofundou relações de trabalho já anteriormente precarizadas, não as criou. Ao explorar as relações de “zoom fatigue”, influência do teletrabalho e trabalhos doméstico e a precarização do trabalho imposta pelos aplicativos de delivery, Claudio observa as características já precarizadas anteriores, e a forma que a pandemia as intensificou.

Já em agosto de 2020, o projeto lançou o livro “Data Justice and COVID-19: Global Perspectives”, com textos de Rodrigo Firmino e Rafael Evangelista da Lavits.

Compartilhe

Cadastre-se em nossa newsletter