[CFP] Surveillance and the dossier: record keeping, vulnerability and reputational politics

Aberto o Call For Papers para o livro “Surveillance and the dossier: record keeping, vulnerability and reputational politics”, a ser publicado pela University of Toronto Press. Para a primeira etapa da seleção, os interessados ​​devem enviar um resumo de 350-550 palavras e uma biografia resumida (150-200 palavras), ambos em inglês, até o dia 30 de maio de 2021 para o seguinte e-mail: surveyillanceandthedossier@gmail.com. A publicação tem entre os editores Rafael Evangelista, pesquisador da Lavits e do Labjor (Unicamp), além de Cristina Plamadeala (Concordia University Montreal) e Ozgun Topak (York University/Toronto).

Com o propósito de discutir e oferecer novos estudos empíricos, conceitos, metodologias e aportes teóricos para examinar a centralidade dos dossiês nas “sociedades de vigilância”, a publicação espera reunir abordagens históricas e contemporâneas, bem como estudos de caso sobre a centralidade da produção de dossiês como prática de vigilância em regimes políticos e econômicos bastante diferentes. O volume, portanto, visa analisar como as políticas de vigilância redesenham as fronteiras e os diferentes arranjos institucionais com o foco na produção de dossiês, seja os em papel ou digitais; sobre indivíduos ou grupos; desenvolvidos por governos, agências de saúde, escolas, empresas ou pessoas físicas; e realizado em uma variedade de configurações políticas que vão desde regimes autoritários às democracias liberais.

Para acessar a chamada completa e os prazos detalhados: aqui.[:es]Aberto o Call For Papers para o livro “Surveillance and the dossier: record keeping, vulnerability and reputational politics”, a ser publicado pela University of Toronto Press. Para a primeira etapa da seleção, os interessados ​​devem enviar um resumo de 350-550 palavras e uma biografia resumida (150-200 palavras), ambos em inglês, até o dia 30 de maio de 2021 para o seguinte e-mail: surveyillanceandthedossier@gmail.com. A publicação tem entre os editores Rafael Evangelista, pesquisador da Lavits e do Labjor (Unicamp), além de Cristina Plamadeala (Concordia University Montreal) e Ozgun Topak (York University/Toronto).

Com o propósito de discutir e oferecer novos estudos empíricos, conceitos, metodologias e aportes teóricos para examinar a centralidade dos dossiês nas “sociedades de vigilância”, a publicação espera reunir abordagens históricas e contemporâneas, bem como estudos de caso sobre a centralidade da produção de dossiês como prática de vigilância em regimes políticos e econômicos bastante diferentes. O volume, portanto, visa analisar como as políticas de vigilância redesenham as fronteiras e os diferentes arranjos institucionais com o foco na produção de dossiês, seja os em papel ou digitais; sobre indivíduos ou grupos; desenvolvidos por governos, agências de saúde, escolas, empresas ou pessoas físicas; e realizado em uma variedade de configurações políticas que vão desde regimes autoritários às democracias liberais.

Para acessar a chamada completa e os prazos detalhados, acesse aqui.
[:en]Aberto o Call For Papers para o livro “Surveillance and the dossier: record keeping, vulnerability and reputational politics”, a ser publicado pela University of Toronto Press. Para a primeira etapa da seleção, os interessados ​​devem enviar um resumo de 350-550 palavras e uma biografia resumida (150-200 palavras), ambos em inglês, até o dia 30 de maio de 2021 para o seguinte e-mail: surveyillanceandthedossier@gmail.com. A publicação tem entre os editores Rafael Evangelista, pesquisador da Lavits e do Labjor (Unicamp), além de Cristina Plamadeala (Concordia University Montreal) e Ozgun Topak (York University/Toronto).

Com o propósito de discutir e oferecer novos estudos empíricos, conceitos, metodologias e aportes teóricos para examinar a centralidade dos dossiês nas “sociedades de vigilância”, a publicação espera reunir abordagens históricas e contemporâneas, bem como estudos de caso sobre a centralidade da produção de dossiês como prática de vigilância em regimes políticos e econômicos bastante diferentes. O volume, portanto, visa analisar como as políticas de vigilância redesenham as fronteiras e os diferentes arranjos institucionais com o foco na produção de dossiês, seja os em papel ou digitais; sobre indivíduos ou grupos; desenvolvidos por governos, agências de saúde, escolas, empresas ou pessoas físicas; e realizado em uma variedade de configurações políticas que vão desde regimes autoritários às democracias liberais.

Para acessar a chamada completa e os prazos detalhados, acesse aqui.

Compartilhe